A Ordem das Disciplinas
– segundo Santo Tomás de Aquino

 “A felicidade última do homem está na contemplação da Verdade.”
Santo Tomás de Aquino
C. N.
Já são muitos os que seguiram ou seguem nosso curso on-line “Por uma Filosofia Tomista”, efetiva introdução à filosofia aristotélico-tomista, ou melhor, à filosofia aristotélica enquanto levada a seus últimos termos ou consequências pelo Teólogo. Uma coisa, todavia, não se pôde fazer nesse curso senão em linhas gerais, a qual, portanto, necessita de expansão e de acabamento: uma precisa, ordenada e detalhada orientação dos estudos conducentes à Sabedoria, incluindo uma bibliografia comentada.
Por isso mesmo é que ministraremos um novo curso on-line, “A Ordem das Disciplinas – segundo Santo Tomás de Aquino”, este de acesso livre, ou seja, gratuito, e cujas aulas, ademais, poderão baixar-se, compartilhar-se e publicar-se francamente. Suas aulas serão mais breves que as de “Por uma Filosofia Tomista”: enquanto estas tinham cerca de duas horas cada uma, as do novo curso terão cerca de quarenta minutos cada uma. A cada semana, em princípio, e a partir de 1º de novembro de 2015, estará em nosso canal do Youtube uma nova aula, o que porém poderá deixar de suceder por qualquer circunstância relativa ao professor. Ademais, quando necessário, as aulas acompanhar-se-ão de algum texto disponível em Estudos Tomistas. Por fim, como resulta do dito mais acima, o curso não terá duração prefixada, e estender-se-á por quantas aulas forem necessárias para cumprir a ementa; mas todas as aulas ficarão indefinidamente em nosso canal, e a data a partir da qual cada aula estará no ar anunciar-se-á com alguns dias de antecedência na página Estudos Tomistas (http://www.estudostomistas.com.br/), por sua newsletter e em nossa página institucional do Facebook.
Eis a ementa do curso, suposta sempre a presença de bibliografia comentada:
1. O ordo disciplinae das artes e das ciências.
Observação 1. Mostrar-se-á, ademais, o que são estas e aquelas, e de que modo as artes podem dizer-se ciências, e as ciências artes (especialmente liberais).
Observação 2. Mostrar-se-á, ainda, a distinção entre arte e experiência.
2. A Gramática (portuguesa, além da latina, da francesa, etc.).
Observação 1. Tratar-se-á, também, a arte da tradução.
Observação 2. Tratar-se-á, ademais, criticamente, a Linguística.
3. A Lógica ou ciência-arte propedêutica a todas as demais ciências e a todas as demais artes.
a) O tratado dos universais:
• os unívocos;
• os análogos;
• os transcendentais;
• as categorias;
• etc.
Observação. As categorias voltarão a tratar-se no âmbito da Metafísica, enquanto os unívocos voltarão a considerar-se especialmente no âmbito da Tópica. E é justo para tratar estes temas que se publicarão em 2016 dois outros livros nossos: Comentário às Categorias de Aristóteles e Comentário à Isagoge de Porfírio.
b) O tratado da interpretação ou da enunciação.
c) O tratado do raciocínio.
d) O tratado do método científico.
3.1. A Dialética (ou Tópica) ou disciplina da investigação do provável.
3.2. A Retórica ou arte de fazer tender ao verossímil mediante o bem e o justo.
3.3. A Poética ou arte de fazer tender ao bem e à verdade mediante o belo.
      § O tratado das falácias ou sofismas.
      Observação 1. Têm o mesmo fim que a Poética as demais artes do belo:
• A Música;
• A Pintura;
• A Escultura;
• O Cinema;
• etc.
Observação 2. A razão de parte potencial da Lógica que deve dar-se à Poética (assim como à Retórica) é mais frágil que a que deve dar-se à Dialética, mas ainda é própria. Resta ver se se pode dar a mesma razão às demais artes do belo.
Observação 2. A Arquitetura não é pura arte do belo.
Observação 3. A Estética parece ser a ciência (prática) do facere das artes do belo: estará para estas, por um lado, assim como a Física geral está para as demais ciências físicas e, por outro lado, assim como as ciências práticas do agere estão para a Prudência. 

    Observação 4. O dito nestas três observações constitui justo o tema de nosso livro Das Artes do Belo: Imitação e Fim, por lançar-se também em 2016.    

4. As ciências práticas do agere.
a) A Ética ou ciência do autogoverno.
b) A Econômica ou ciência do governo doméstico e de seu desdobramento na pólis.
c) A Política ou ciência do governo da pólis.
Observação 1. A Prudência docens ou Ética é verdadeira ciência (prática), mas não é arte de modo algum, enquanto a Prudência utens ou Prudência propriamente dita não é ciência de modo algum, mas se diz arte em sentido amplo.
Observação 2. Tratar-se-á, também, o Direito.
Observação 3. Tratar-se-á, ainda, a História, disciplina subalternada e ordenada à Política e a outras ciências.
5. A Física geral ou ciência genérica do ente móvel.
a) A Cosmologia ou ciência física do ente segundo o lugar.
b) A Química ou ciência física do ente segundo a geração e a corrupção.
c) A Biologia ou ciência física do ente segundo o aumento e a diminuição.
d) A Psicologia ou ciência física do ente segundo alteração.
Observação 1. A alteração é a espécie de movimento relativa às qualidades, e as qualidades por antonomásia são as virtudes intelectuais e morais do homem. Mas a Psicologia ou Antropologia, enquanto trata precisamente a parte intelectivo-volitiva da alma humana, obviamente não é ciência física. Logo, a Psicologia é uma como ciência média entre a Física e a Metafísica, o que decorre da natureza mesma da alma humana.
Observação 2. Tratar-se-ão, criticamente, as chamadas “ciências modernas”.
6. A Matemática ou ciência do ens quantum.
a) A Aritmética ou ciência matemática das quantidades discretas.
b) A Geometria ou ciência matemática das quantidades contínuas.
c) Etc.
7. A Metafísica (ou Filosofia primeira, ou Teologia filosófica) ou ciência do ente enquanto ente.
8. A Teologia sagrada ou ciência de Deus enquanto Deus (ou sob a razão de deidade) – a única das ciências que é simultaneamente especulativa e prática e cujos princípios não se alcançam pelas luzes da razão. 

Deixe uma resposta