C. N.
I
Para nosso trabalho em prol do tomismo (vide a Apresentação de Estudos Tomistas), 2015 foi um ano muito favorável.
1. Antes de tudo, pudemos publicar, pela editora Concreta, nossa tradução e nosso estudo introdutório do Compêndio de Teologia de Santo Tomás de Aquino. Reputamos esta tradução a melhor que já alcançamos até agora, efeito provável da maturidade.
2. Depois, demos prosseguimento a nossos cursos on-line não francos: Por uma Filosofia Tomista; A Existência de Deus e a Criação do Mundo – segundo Santo Tomás de Aquino; Para Bem Escrever na Língua Portuguesa, o primeiro do quais fundamental para nossos fins.
3. Graças à aposta de Edson Filho, dono da É Realizações, em agosto saiu por esta editora a nossa Suma Gramatical da Língua Portuguesa (que se encontra neste link com substancial desconto). Em suas volumosas páginas, busca-se fazer que a Gramática seja de fato normativa, mas ao mesmo tempo se funde em definições e em classificações corretas e, mais que isso, mostre as luzes da Lógica e da Metafísica que a esclarecem. – E, para nossa surpresa, em menos de seis meses esta Suma já marcha para o quarto final de sua grande tiragem, e na Amazon por vezes alcança o primeiro lugar entre as gramáticas mais vendidas.
4. Ademais, pudemos incrementar grandemente a página Estudos Tomistas com textos próprios.
5. E, finalmente, demos início a dois cursos francos, que só terminarão em alguma altura de 2016: A Ordem das Disciplinas – segundo Santo Tomás de Aquino e Questões Teológicas.
II
Se se confirmarem as possibilidades que agora divisamos, 2016 ser-nos-á um ano ainda mais favorável que 2015.
1. Em fevereiro, a Filocalia (editora nova, vinculada à É Realizações) publicará os dois primeiros livros da coleção Grandes Comentadores, ambos de Fílon de Alexandria, o primeiro teólogo a valer-se da filosofia como de uma serva: Da Criação do Mundo e Outros Escritos e Questões sobre o Gênesis. Com esta coleção, a Filocalia vem preencher uma grave lacuna no panorama editorial brasileiro: a que diz respeito aos grandes comentadores, em língua grega e em língua latina, da Bíblia, de Platão e de Aristóteles. As obras da coleção, coordenada por nós, nunca foram publicadas em nosso idioma. São dos seguintes comentadores: Alexandre de Afrodísias, Amônio de Hérmias, Boécio, Fílon de Alexandria, Proclo, Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino e Simplício. Os livros da coleção Grandes Comentadores terão estudo introdutório substancioso, de nossa autoria na maior parte dos casos.
2. Em meados do ano, publicar-se-á pela mesma coleção um comentário de Santo Agostinho à Escritura, e no fim do ano um de Santo Tomás de Aquino a Aristóteles. Este contará com estudo introdutório, nosso, de cerca de cem páginas.
3. Cremos que nos será possível publicar, em 2016, cinco novos livros nossos.
a. Em janeiro ou fevereiro, pelas Edições Santo Tomás, Estudos Tomistas – Opúsculos (filosóficos e teológicos).
b. Em abril ou maio, A Arte de Traduzir (título provisório); ainda sem editora.
c. Em julho ou agosto, pela É Realizações, Das Artes do Belo: Essência e Fim (título provisório).
d. Em alguma altura do segundo semestre, um Comentário às Categorias de Aristóteles e um Comentário à Isagoge de Porfírio; ambos ainda sem editora.
Observação. Note-se que, excetuados os Opúsculos e Das Artes do Belo, a ordem de publicação de nossos livros (incluída a Suma Gramatical) segue a ordem das disciplinas segundo o explanado em nosso curso de mesmo nome (cf. aqui). E assim prosseguiremos enquanto Deus nos der saúde e tempo de vida para tal.  
e. E, finalmente, assim que terminar o curso A Ordem das Disciplinas – segundo Santo Tomás de Aquino, daremos início a outro, também franco: Refutação das Principais Doutrinas Antiaristotélicas, não raro mediante o recurso de sua redução ao absurdo. Entre as doutrinas que se refutarão, estão: a estoica, a neoplatônica (embora esta não seja exatamente antiaristotélica), a de Duns Scot, a de Guilherme de Ockham, a de Descartes, a de Locke, a de Malebranche, a de Hume, a de Rousseau, a de Kant, a de Hegel, a de Darwin, a de Marx, a de Freud, a de Husserl, além da de vários outros modernos.
Observação. Antes de começarmos a refutá-las, daremos um panorama da filosofia anterior a Aristóteles, e uma suma da mesma filosofia aristotélica, com sua necessária complementação corretiva por Santo Tomás de Aquino.    

Muito obrigado por tudo, tende todos um santo e feliz Natal, e que se nos permita recomendar uma postagem de nossa página A Boa Música: Corelli – Concerto Grosso op. 6, n°8 – ‘Feito para a Noite de Natal’.

Deixe uma resposta