Carlos Nougué
2016
1) Como costuma ocorrer na vida humana, alguns de meus projetos para 2016 se cumpriram, enquanto outros não se cumpriram. Para que estes não se cumprissem, contribuíram principalmente, antes de tudo, a crise econômica que se iniciou com o segundo governo Dilma e que prossegue até hoje e, depois, meu sempre precário estado de saúde, que se agravou muito no segundo semestre (sem que, todavia, literalmente graças a Deus, se interrompessem minhas atividades senão por um mês). Agora é esperar o resultado dos exames decisivos.
2) Entre o que se alcançou, está o seguinte.
a) Já praticamente se esgotou a primeira edição da Suma Gramatical da Língua Portuguesa (608 pp.), lançada pela É Realizações em agosto de 2015: nesse espaço de tempo, venderam-se quase todos os cinco mil exemplares. Em janeiro ou fevereiro sairá a segunda edição, que não conterá nenhuma alteração de fundo, apenas correções pontuais.
b) Lançamento de Estudos Tomistas – Opúsculos (192 pp.), lançados pelas Edições Santo Tomás. Trata-se de reunião de textos mais ou menos longos e de caráter muito diverso: gramatical, lógico, metafísico, teológico sagrado, etc. Destaco o opúsculo Se Se Deve Rezar pela Salvação do Mundo.
c) Dois novos cursos on-line, que se juntam aos três já preexistentes (Por uma Filosofia Tomista; A Existência de Deus e a Criação do Mundo – segundo Santo Tomás de Aquino; Para Bem Escrever na Língua Portuguesa):
O Melhor Regime Político segundo Santo Tomás de Aquino (e o atual momento brasileiro);
• História da Música Erudita Ocidental (litúrgica e profana).
Observação. Oferecem-se pacotes com esses cursos e com consideráveis descontos.
d) Muitíssimos novos artigos e opúsculos sobre os mais diversos temas na página Estudos Tomistas.
e) Considerável ampliação de atualizações na página A Boa Música, onde, ademais, passei a tratar o cinema e outras artes.
f) Considerável aumento dos vídeos gravados para meu canal do Youtube (Carlos Nougué Tomismo), alguns do quais são vídeos mais curtos e pois de maior alcance. 
g) Utilização intensiva de minha página institucional do Facebook. Eu, que por diversos motivos tinha resistência a usar as redes sociais, acabei por reconhecer sua grande utilidade. Mas insista-se: trata-se de página institucional, não de perfil pessoal, que não tenho.
Observação. Não se deu em 2016 o programado e esperado debate entre o Prof. Ramalhete e mim (sobre o Vaticano II e o magistério conciliar) por graves problemas de saúde do professor. Rezemos pois antes de tudo por sua mais pronta recuperação, e fiquemos esperando o que Deus nos tem reservado quanto a esta disputa.
2017
Como porém ainda tenho de esperar os resultados dos exames decisivos, os quais só os terei em meados de janeiro, não ouso ter perspectivas ou expectativas para 2017 senão de curto prazo.
a) Já terminei ou terminarei no início do ano muitas traduções simultâneas (até por necessidade econômica). Entre elas ressaltam:
• a Questão Disputada sobre as Criaturas Espirituais, de Santo Tomás de Aquino, para a É Realizações (já pronta);   
Do Reino e Outros Escritos, também de Santo Tomás de Aquino, para a editora Armada;
Siger de Brabant e o Averroísmo Latino no Século XIII, de Pierre Mandonnet O. P., para a Coleção Neotomismo.
b) Nova edição, revista, do extraordinário Compêndio de Teologia, de Santo Tomás de Aquino, pela editora Concreta.
c) Entrega à É Realizações da tradução (meticulosa e longamente revisada) do Comentário à Física de Aristóteles por Santo Tomás de Aquino, com um estudo introdutório (de cerca de cem páginas) em que trato a necessidade do retorno à Física geral aristotélico-tomista, proponho as devidas correções à parte sua que caducou (a Cosmologia) e procedo à crítica da física que culmina em Newton e em Einstein. – Trata-se de tradução inédita em língua portuguesa desta que é uma das mais importantes obras filosóficas de todos os tempos. Quanto ao estudo introdutório, fundo-me grandemente nos ensinamentos do Pe. Álvaro Calderón.  
Observação. Quanto aos novos livros meus anunciados para 206 e 2017, dois já estão praticamente terminados, mas necessitam ainda de detida revisão e burilamento: trata-se do Comentário à “Isagoge” de Porfírio e de Das Artes do Belo: Essência e Fim, este com cerca de mil páginas que têm de ser reduzidas… Mas, pelas razões indicadas mais acima, não aventuro previsões de tempo para seu término, nem para o dos demais. Tampouco as aventuro, porém, com respeito aos dois novos cursos anunciados para 2017: História da Filosofia – do Impulso Grego ao Abismo Moderno e Escola Tomista. Tudo está nas mãos de Deus.
Observação final. Dar-me-ei umas férias até à primeira semana de janeiro das atividades na página Estudos Tomistas, na página institucional do Facebook e no canal do Youtube. Darei continuidade neste tempo, todavia, às referidas traduções e à gravação das (últimas) aulas do curso História da Música Erudita Ocidental (litúrgica e profana), com as correspondentes postagens na página A Boa Música.
Tenham todos um santo Natal e um novo ano cheio de progressos espirituais  e muito obrigado por tudo.

A Adoração dos Pastores, de Francisco de Zurbarán

Deixe uma resposta