São Pio X

“A Igreja, com pregar a Cristo crucificado, escândalo e loucura aos olhos do mundo (1 Cor. 1, 23), tornou-se a primeira instituidora e fautora da [perfeita] civilização, cujos bens se derramaram, por onde quer que a pregação dos Apóstolos se tenha feito ouvir, conservando e apurando os elementos bons as antigas civilizações pagãs, arrancando à barbárie e adestrando à vida civil as novas gentes, que rejuvenesciam amparadas ao seio maternal, imprimindo em toda a sociedade, se bem que a passos lentos, mas com traços seguros e sempre progressivos, aquele caráter tão realçado que retém [retinha] até o dia de hoje. A civilização do mundo é a civilização cristã [não judaico-cristã], tanto mais verdadeira, duradoura, provida de frutos preciosos quanto mais lidimamente cristã for; tanto mais decaindo, com dano imenso do bem-estar da sociedade, quanto mais se subtrair à ideia cristã. Tanto é assim, que a força intrínseca das coisas constitui, de fato, a Igreja guardiã e paladina da civilização cristã; fato este reconhecido e aclamado por outros séculos da História” (Enc. “Il fermo proposito”, 11-6-1905, A.S.S. vol. 37, p. 746).   

Deixe uma resposta